Mais respeito, por favor!

Queridos leitores, faço esse post para em primeiro lugar me desculpar pela ausência. Apesar de ter muita coisa organizada para mostrar para vocês, estava impossibilitada de postar nos últimos dias devido à uma cirurgia de urgência que tive de fazer, com pós operatório difícil. Como vim para a casa dos meus pais para ser cuidada/olhada/mimada pela minha mãe esses dias, deixei o meu computador em Uberlândia, pois sabia o quanto seria complicado mexer com ele nesses primeiros dias.

Então vocês podem se perguntar o que eu estou fazendo aqui agora, em pleno pós operatório, escrevendo para vocês, certo? Resolvi fazer um post aqui do computador da casa dos meus pais porque fiquei super chateada com alguns feedbacks de noivas sobre o quão frustrante tem sido a organização do próprio casamento. Nesse carnaval recebi um email que me deixou tão chateada/indignada, que resolvi reproduzi-lo na íntegra aqui, claro que removendo nomes da autora e do fornecedor envolvido:

“Querida Nara, em primeiro lugar gostaria de agradecer o carinho e disponibilidade com que se dedica ao blog. Apesar de estarmos em um mundo tecnológico, repleto de diários virtuais em que as pessoas despem suas vidas gratuitamente, o seu diferencial está na verdade e carinho envolvidos, fazendo com que nos sintamos abraçadas e acalentadas em nossas dúvidas e fraquezas mais secretas.

Apesar de acompanhá-la sempre que posta, nunca tive coragem para comentar. Fiquei noiva e venho organizando meu casamento dentro das minhas possibilidades há 6 meses, e te confesso, há horas em que a minha vontade é de jogar tudo para o ar e ir casar em Cancún levando somente nossos pais! É tudo tão ridiculamente dificultado nessa época, que fico pensando porque as pessoas sempre escolhem o caminho mais difícil para chegar às conclusões e resultados mais simples. 

Desde o início das organizações sabia que trabalhando em período integral seria mais difícil organizar o casamento, por isso optei por gastar um pouco mais contratando um cerimonial completo. Minha expectativa: mostraria à profissional contratada o que gostaria para o meu casamento, inspirações, orçamento, e ela começaria a trabalhar em cima do que queremos/podemos. Claro que junto comigo, mas esperava que ela filtrasse para mim os fornecedores que já não combinavam com nosso casamento. Chego aqui no motivo que me fez escrever para você: passados 6 meses da contratação a única coisa que a minha cerimonial conseguiu foi inverter o MEU CASAMENTO no casamento DELA. E eu simplesmente não sei mais como lidar com as frustrações que ela me causa.

Falei para ela que queria um buquê vermelho, a resposta: “buquê vermelho está super fora de uso, é para noivas velhas, coisa antiga. Bonito é buquê de orquídeas, branco, o mais clássico melhor!”. Queria um casamento com ilhas (buffet), ela: “Não se usa mais mesa de boteco. As comidas são servidas e ficam frias, ruins. Ilhas acabam complicando a dinâmica, opte por mesa de frios e jantar normal.”. Queria me casar no campo, em espaço aberto: “é complicado, tem a questão da chuva, das convidadas mulheres, da dinâmica. Será frustrante, já opte pela igreja, é a opção mais simples, barata e confiável.”. Até o mês do casamento ela criticou, disse que agosto dá azar, e me pôs várias inseguranças com relação à todas as escolhas que já faziam parte do meu imaginário desde que pensei em casar. 

Agora me diz? Para quê contratar um cerimonial, se ele não se adapta à você, e sim você quem tem que se adaptar ao casamento que ela quer fazer? Como assim as noivas DELA não se casam assim, até então achava que eu me casaria com meu noivo!

Estou frustrada! Sei que parece que eu que  sou mole em não me impor, mas acho essa uma questão tão absurda, que não compreendo ter que me impor para um “funcionário” para que ele faça o que foi contratado para fazer, e não o que bem entende! Queria uma opinião sua sobre como agir, o que fazer. Se rescindo o contrato, tem multa (e alta, assim como o valor do serviço prestado), se continuo, vou ter que me desgastar ainda mais. Fico preocupada porque é um cerimonial conceituado, elogiado na cidade. Se os melhores estão ruins, o que fazer?”

Bem, a conversa vai além, mas até aí vocês já devem ter percebido do que estou falando não é mesmo?

Não é de hoje que vejo reclamações de amigas e leitoras de que determinada coisa no casamento não foi como ela gostaria porque houve intervenção da cerimonial. Lembro bem da minha irmã quando ficou noiva e recebeu uma cerimonial para orçamento em nossa casa, e a “moça” falou para ela que era um absurdo ela não querer usar véu, que isso não existia e que até o casamento a convenceria do contrário. Oi? Convencê-la de não fazer o que ela quer no próprio casamento? Claro que minha irmã disfarçou e logo deu um jeito de encerar a reunião (e casou sem véu!). Mas até onde vai a falta de respeito dos fornecedores com o sonho ao qual foi contratado para realizar?

Deixe que as pessoas sejam o que elas querem ser! Como bem diria meu pai: “o que seria do amarelo se todos gostassem do azul?”. O casamento (vejo muito isso em Uberlândia) se engessou em um formato, e ficam todos com aquele carão de “mudaram os noivos e a cor da decoração”. Só de olhar fotos já sabemos: essa decoração é do fulano; esse buffet do ciclano; os doces são de beltrano (e são até os mesmos sabores escolhidos em todos os casamentos), até as fotos estão passando por uma estagnação. Dia desses nos reunimos em casa para mostrar as fotos de casamento, e duas amigas levaram seus álbuns que foram feitos pelo mesmo fotógrafo. O resultado foi rir para não chorar: os álbuns eram idênticos, mudavam apenas os noivos! Até cenas em preto em branco em um, se repetiam no outro. Como um formato em que a montagem do álbum só mudava quem ilustrava as fotos! Rimos no dia, mas quando foram embora fiquei pensando sobre em quão prontas as coisas já estão quando são vendidas para nós como exclusivas do seu dia!

É aquela velha história do orçamento, em que estamos dispostos a gastar 30 mil total, e o cerimonial nos indica orçamento em um decorador que sabidamente vai consumir seu budget total. É claro que enche os olhos, é claro que queremos o melhor, mas isso é expor sim a um sofrimento totalmente desnecessário. Se não posso pagar, prefiro nem conhecer. E qual o melhor dentro das minhas possibilidades?

Vejo que cada vez mais não encontramos fornecedores para lutarem verdadeiramente pelo desejo dos noivos. E não falo só dos cerimoniais não: são os cantores que te empurram as músicas conhecidas na igreja para não se darem ao trabalho de fazer um arranjo novo, o buffet que não se dispõe a aprender uma nova receita que a noiva gostaria de acrescentar para agradar sua família, o decorador que não se interessa em alterar o orçamento para abaixar 2, 3 mil reais porque é sempre impossível fazer por menos que aquilo.

Fiquei frustrada com o email e com a história da leitora. Fiquei mais frustrada porque concordo com cada palavra e sinceramente não saberia como agir no lugar dela. Chega um momento nos preparativos do casamento que é tão exaustivo que nos dispomos a abrir mão das coisas como queremos para que elas simplesmente aconteçam. E até onde podemos abrir mão sem mudar a essência do nosso sonho? Até onde podemos abrir mão sem que isso se torne remorso depois? Uma coisa eu gostaria de dizer: use o seu buquê vermelho! Nada nem ninguém pode alterar a imagem que você tem de você como noiva!

buque vermelho

Comments
9 Responses to “Mais respeito, por favor!”
  1. Nathalie disse:

    Oi Nara e meninas!

    Acompanho o blog há um tempinho e até tive meu casamento publicado por aqui pela Nara e entendo muito a frustração dessa noiva.

    Quem organizou meu casamento foi minha mãe praticamente sozinha porque também não tivemos muito apoio do cerimonial. Eu moro no Rio de Janeiro e tive q tomar todas as decisões à distância. No entanto, sempre deixamos muito claro para todos os fornecedores o que queríamos no nosso casamento e, por isso, muitos dos fornecedores “famosos” não entraram no meu casamento.
    Mesmo no dia, uma das meninas do cerimonial nos questionou sobre as fotos na mesa do bolo e eu, educadamente, disse: “olha, não sei se o fulano não te instruiu, mas nós não vamos tirar fotos na mesa do bolo; nem bolo nós temos. Nosso casamento é um pouco diferente.” E ela teve q respeitar pq era a noiva, vestida de noiva, no meio da festa conversando com ela.

    Se conselho serve para alguma coisa, eu diria para essa noivinha que chamasse a cerimonialista para conversar, explicasse exatamente o que ela contou no email e dispensasse a pessoa porque realmente ela não é a mais indicada para fazer seu casamento. E, por experiência própria, não tenha medo de fechar contratos com fornecedores que não são famosos em Uberlândia; eles podem te surpreender, o que foi o meu caso.

    Pra tudo existe um jeito; uma maneira. Se seu sonho é casar num lugar aberto, não desista dele. Não desista do seu buquê vermelho e das coisas que vc ama! Ninguém tem o direito de te dizer que tal coisa é antiquada ou não se usa mais. Seu dia é único e não vai acontecer de novo! Vc tem todo o direito de querer o seu casamento do SEU jeito!

    E, no mais, respire fundo e vá atrás do casamento dos seus sonhos. Pode ser que dê um pouco de trabalho, mas vale a pena!

  2. Hilma disse:

    Excelente post, Nara! Um verdadeiro absurdo, eu me senti assim quando fui casar e sinto até hoje: desrespeitada pelos profissionais que querem vender o seu “pacote” que dá mais lucro, além de criticar as vontades das noivas. Quando me casei tive várias frustrações, coisas que passaram imperceptíveis aos olhos dos convidados, mas que para mim geraram um sentimento de tristeza. Tristeza por sonhar, planejar e organizar tudo detalhadamente, enquanto o profissional ignora tudo e faz do jeito que convém. Essa noiva tem mais évaue se jogar

  3. josy florista disse:

    Nara sempre acompanho seu post acho muito bom…e o que a noivinha disse e a mais pura verdade… me deparo muitas vezes com noivas que querem um buque vermelho ou branco.ou etc.. .e muitos profissionais dizem q e cafona ou nao se usa mais ..gente o que a Nathalie disse e a mais pura verdade..se vc tem um sonho de casar no campo casa nao campo se quer um buque vermelho faça um buque vermelho…que a proposito e um classico e nunca sai de moda.. e Seu casamento… nao permita que ela faça do seu sonho um pesadelo.. bjs

  4. Olá Meninas! Acho muito válido este post de vocês. Eu sou assessora em eventos e embora não seja a mais conhecida em Uberlândia, prezo por um trabalho que vá ao encontro com os anseios de cada casal. Às vezes, a fama sobe à cabeça de alguns profissionais, que passam a adequar o sonho ao casamento e não o casamento ao sonho, isso diminui o seu serviço, pois com certeza é muito fácil reproduzir casamentos do que criar um casamento. E digo mais, devido à essa massificação no mercado de eventos, é que tem surgido tantos cerimoniais da noite para o dia, pois “se casamentos são todos iguais mesmo, eu consigo fazer” . Pessoas não especializadas, que não tem tato para lidar com os sonhos de alheios e reza as boas maneiras que, mesmo que quando algo está em desuso, há a maneira correta de se fazer a “sugestão” e jamais imposição.. Meu conselho para esta noiva é que encerre este contrato, pois, se está frustada agora, imagine o que pode acontecer no dia? E que procure uma assessora que realmente tenha formação técnica (entendimento real do trabalho é importantíssimo) tem curso de etiqueta? entende de protocolos? E de sonhos?

  5. Flávia disse:

    Olá Nara. Sempre acompanho seus posts e confesso que esse me deixou indignada. Como foi citado nos comentários anteriores, vejo que essa noiva está se sentindo muito mal devido a todos esses acontecimentos citados por ela. Pois bem, como noiva, venho através deste, dizer a ela que não deixe com que nada e nem ninguém diga o que ela deva ou não fazer, até mesmo porque se trata de um sonho no qual, só nós ( noivas ) é que sabemos o quão importante é esse momento em nossas vidas. Confesso que durante os meus preparativos, que por sinal ainda não terminaram, ouvi muita coisa a respeito do meu grande dia. Foram diversas as vezes em que me peguei chorando, por ter sempre uma pessoa ou outra que queria me jogar para o mais profundo dos buracos.Mas enfim,,, aconselho a essa noivinha, que converse com a sua cerimonialista, e caso as suas vontades não prevaleçam, que ela contrate outra pessoa, que viva o sonho e a vontade dela. Independente de dizerem o que se usa ou não, a vontade dela e do noivo tem que prevalecer acima de todas as coisas. Se o sonho é o buquê vermelho, que seja vermelho,se quer casar no campo, que assim faça. Essa história de que ilhas estão fora de moda, não tem nada a ver, super recomendo que ela faça mesa de boteco, pois além de ser super aceito, ela vai agradar em cheio os convidados. Espero que ela tenha sucesso nos preparativos do seu casamento, e caso necessite de indicações, estarei a disposição para ajuda-lá. Grande abraço!!!

  6. Patrícia disse:

    Olá Nara!!! Poxa, espero não passar por uma situação dessa pois fiquei indignada com a falta de ética profissional. É um absurdo contratar uma pessoa para facilitar e ela só complicar ainda mais a vida da noiva. Acompanho o blog e admiro muito a sua iniciativa. Continue assim. Parabéns!!! E que sirva para os profissionais da área pensarem melhor em como estão desenvolvendo o seu trabalho. Bjo

  7. Kálita Marçal disse:

    Olá Nara e meninas!
    É realmente essa saga do casamento dos sonhos tem seus desafios.
    A noiva está completamente certa em expor sua indignação. Sempre soube que o cerimonial é uma parte importantíssima para a construção do sonho e principalmente no dia do evento.
    Se tem problemas desse nível ao longo do caminho, imagine só o que o poderá acontecer no dia.

    Me caso daqui quatro meses (e sim, já estou pirando), e a batalha não é fácil. Meu primeiro contrato fechado a mais de um ano atrás foi o cerimonial. Ela estudou comigo, não é a mais famosa do mercado, mas o que ela me passou de cara foi CONFIANÇA. Essa palavrinha mágica deve estar presente em todos os contratos fechados. Essa personalização do casamento depende da imposição dos noivos e claro também o respeito e profissionalismo dos profissionais.
    Vários profissionais conceituados confiam tanto no seu “taco” que seus atendimentos beiram a grosseria pela quantidade de imposições e descaso.

    Sou designer de interiores e também tenho visto todos os eventos iguais, mas imagino que aconteça com esse mercado de casamento a mesma coisa que acontece com o mercado de decoração. Os clientes procuram os profissionais se baseando apenas no que já viram ou ouviram deles e esquecem que para fazer do seu evento SEU, tem que se abrir, se expor e falar de coração o que realmente quer. Mesmo que fuja do convencional, da moda, do padrão e principalmente do gosto dos fornecedores.
    Não fechei decoradora, as poucas idéias que troquei com alguns profissionais dessa área não me deixaram feliz. Queriam padronizar o meu casamento, com a famosa frase “o que está usando agora”. No entanto estou organizando tudo e no dia tem um pessoal que irá montar.
    Acho que esse desabafo da noiva serve como um alerta para todas nós acordamos e começarmos a ver como esse mercado é amplo. Que tem uma infinidade de novos profissionais que trabalham tão bem quanto as figurinhas carimbadas.

    Olha noiva, não desista! Se imponha e bata o pé. O casamento é SEU, não deixe de faze-lo com a sua cara!
    A caminhada não é fácil, mas tenho certeza que no dia tudo vale a pena!

  8. aline campos disse:

    ai estou tão triste meu sonho sempre foi casar e tudo mais comecei a fazer alguns orçamentos de uma festa simples e estou decepcionada tanto com a qualidade do atendimento prestado tanto com os valores acho que meu sonho já era se casar com 3500,00 é impossível pelo jeito em uberlandia meu sonho vai ficar so em pensamento mesmo fiz varias buscar tentando encontrar de sites com pessoas na mesma situação ou indicações de pessoas que cobram essa faixa de preço e fica uma festa simples porem atualizada
    se tiver alguma pessoa na mesma situação fala comigo alininha.udi@gmail.com

Deixe seu comentário!!! Será um prazer receber seu feedback de nossos posts! O BLOG NÃO SE RESPONSABILIZA POR COMENTÁRIOS DEIXADOS NOS POSTS E O CONTEÚDO DESTES É TOTAL RESPONSABILIDADE DO AUTOR DOS MESMOS!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: