Casamento – A cerimônia – Parte 2

Continuando a falar sobre a cerimônia passemos para a parte boa e sem aflições (ou quase sem).

Passado o tempo de espera que parecia infinito, a cerimônia do casamento foi linda. Não é porque foi o meu, mas foi tão delicada, bem feita e diferente… Não sei bem explicar, mas acredito que o Padre Júlio estava especialmente inspirado no dia, porque apesar de já ter ido em vários casamentos celebrados por ele, inclusive o da minha irmã, nenhum foi no formato que o meu foi!

O Padre Júlio não seguiu o padrão de um casamento católico, que tem leitura, entrada, bênção das alianças, eu te recebo fulano, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, troca de alianças, bênção aos noivos e estão casados.

No nosso casamento os protocolos foram diferentes. Foi feita a leitura (Coríntios 13, 1-7), o Padre fez a homilia, e em seguida pediu déssemos as mãos e falou sobre dar às mãos no dia do casamento, uma das passagens que ficaram marcadas e que foram muito elogiadas pelos convidados:

“Dar as mãos no dia do casamento é demostrar disponibilidade para um levantar o outro das quedas, das fraquezas, na vida que vão construir juntos. É o momento em que um vai dizer ao outro, eu te recebo, mas devem tomar consciência que recebem um ao outro não por este momento apenas, mas pela vida toda, na alegria, na tristeza, na saúde e na doença. Isso exige fidelidade dos dois para sempre! Porque um acolhendo o outro acolhe o próprio cristo, encontram, amam e servem o próprio Deus!”

Em seguida trocamos votos, que ao contrário do que vemos na igreja, nãos foram iguais para mim e para o Luiz. O padre Júlio ia nos ditando o que falaríamos um para o outro, mas foram coisas lindas, e diferentes:

Luiz- “Nara, quero pertencer sempre à você. Desejo ser seu companheiro, seu amigo, seu esposo,  seu amor. Viverei com você na dor e na alegria, nas aflições e nas esperanças, nos fracassos e nas vitórias, na saúde ou na doença. Eu lhe recebo como minha esposa e prometo ser-lhe fiel, e te fazer feliz, todos os dias da minha vida. Certo de que Deus me dará sua luz e a sua força. Amém!”

Nara- “Luiz Fernando, eu quero ser sempre sua. Eu lhe recebo como meu esposo, e viverei com você os momentos fáceis e os difíceis, na dor e na alegria, na saúde ou na doença, nos desânimos e nas esperanças, dando-lhe força e entusiasmo. Prometo te fazer cada dia mais feliz, sendo esposa fiel, dedicada, carinhosa e educadora de nossos filhos. Deus que é fiel me guiará nos caminhos da responsabilidade e do amor. Amém!”  

Após este momento, ele nos declarou casados, perante Deus e a igreja. E teve o beijo do casal.

Aí você pensa: e as alianças? Sim… E as alianças! Elas vieram depois que trocamos os votos, o que eu achei super diferente e muito bom, porque foi personalizado, especial e único.

Quando trocamos as alianças falamos as palavras tradicionais: “Eu recebo você, te prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias de nossas vidas.”

E então trocamos as alianças, assinamos os papéis oficiais, abraçamos nossos pais e o casamento foi encerrado! Foi tão lindo, delicioso e rápido (acho que a espera e a entrada duraram mais que toda cerimônia).

Enfim… Muitos me falaram que casar na igreja era bobeira, que não tinha necessidade, que era uma cerimônia padrão, sem calor, sem amor, engessada e igual para todo mundo. Mas sabe o que eu achei? Achei super gostoso entrar em um templo abençoado e ter uma pessoa “oficial” fazendo o casamento. Achei a cerimônia cheia de amor, feita especialmente para nós dois, próxima, como sendo feita (e foi) por uma pessoa querida. Não me arrependo de maneira nenhuma de ter feito minha cerimônia ecumênica na igreja, mais que isso, recomendo! Foi tudo especialmente gostoso e escreveu de forma bem marcante essa parte de nossas vidas!

Danilo Cascão (713) Danilo Cascão (715) Danilo Cascão (718) Danilo Cascão (727) Danilo Cascão (731) Danilo Cascão (733) Danilo Cascão (747) Danilo Cascão (761) Danilo Cascão (765) Danilo Cascão (779) Danilo Cascão (837) Danilo Cascão (841) Danilo Cascão (847) Danilo Cascão (853) Danilo Cascão (856) Danilo Cascão (861) Danilo Cascão (866) Danilo Cascão (872) Danilo Cascão (887) Danilo Cascão (890) Danilo Cascão (896) Danilo Cascão (900) Danilo Cascão (903) Danilo Cascão (906) Danilo Cascão (907) Danilo Cascão (908) Danilo Cascão (916) Danilo Cascão (939) Danilo Cascão (950) Danilo Cascão (960) Danilo Cascão (971) Danilo Cascão (984) Danilo Cascão (993) Danilo Cascão (1000) Danilo Cascão (1013) Danilo Cascão (1022) Danilo Cascão (1027) Danilo Cascão (1033) Danilo Cascão (1037) Danilo Cascão (1039) Danilo Cascão (1044) Danilo Cascão (1059) Danilo Cascão (1066) Danilo Cascão (1067) Danilo Cascão (1078) Danilo Cascão (1080)

Comments
4 Responses to “Casamento – A cerimônia – Parte 2”
  1. Gracielle Vargas disse:

    Nara….qual igreja foi realizada essa cerimônia…Aguardo.

  2. Mila disse:

    Olá Nara! Vou me casar na mesma Igreja… Gostaria de saber quantos padrinhos vc convidou?

Deixe seu comentário!!! Será um prazer receber seu feedback de nossos posts! O BLOG NÃO SE RESPONSABILIZA POR COMENTÁRIOS DEIXADOS NOS POSTS E O CONTEÚDO DESTES É TOTAL RESPONSABILIDADE DO AUTOR DOS MESMOS!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: