Thais e Ricardo

Domingo é um dia delicioso para falar de amor, não?

Quando li a história da Thais, e do casamento dela, fiquei muito inspirada! Muito mesmo! Ela me fez ver algumas coisas que agora, pertinho do meu casamento, não tinha dado a devida atenção. A gente se preocupa com buffet, decoração, flores, vestidos… E se esquece as vezes de nós mesmos! O que tem de meu nesse casamento? O que as pessoas vão olhar e falar: “Isso é a cara da Nara e do Luiz, tão eles!!!” Nos apegamos tanto à tradições, que não temos a crítica de “prefiro pães de mel à bem casados”, “cup cakes combinam muito mais com nosso perfil que bolo confeitado”, entre outros detalhes que nos impõem e em geral aceitamos. Depois da história da Thais, mudei alguns detalhes no casamento, e me sinto mais feliz em pensar que estarei lá, em cada detalhe!

Mas vamos à história dela??? Ficou um post enorme, mas gostei tanto de cada um dos detalhes, que não editei, e achei melhor postar tudo em um dia só para que vocês pudessem dar vida a cada um dos lindos detalhes que ela conta! Aproveitem!

Conheci o Ricardo por uma amiga na UnB em setembro de 2006. Saímos a primeira vez em seu aniversário de 21 anos, 07/10, de lá pra cá muitas histórias, dificuldades, planos, mas acima de tudo muito companheirismo, amizade e amor… Em setembro de 2011 decidimos morar juntos, seria um test drive, uma amostrinha do que seria nosso dia a dia juntos, dividindo o mesmo espaço, organizando nossas agendas e o mais difícil, dividindo um espaço com alguém. Um pouco complicado, principalmente pra mim, que morava sozinha há quase 10 anos. Logo depois de decidirmos isso, ele viajou a trabalho e eu fiquei organizando a mudança e em 04 de novembro do mesmo ano começamos a dividir nosso canto, assinamos contrato de união estável, conforme mandava o figurino, mas continuava sonhando com o meu casamento, apesar de achar que esse sonho dificilmente se realizaria, pois não era bem “O” sonho do Ricardo, ainda mais morando em Brasília, onde tudo é mais caro. 

Achei que uma hora ou outra sairia esse casório, quem sabe em 2 ou 3 anos. Mas num domingo a noite (12/02/2012), estávamos nos preparando pra dormir e o Ricardo olha pra mim e pergunta “ Vc quer casar comigo?” achei que era brincadeira, porque nas ultimas semanas ele sempre vinha perguntando isso, mas sempre achava que ele tava zuando pq fazia nas horas mais estranhas: lavando louça, arrumando a casa… Aí disse que sim, ele pediu 5 minutos, correu no escritório, pegou o anel de noivado, ajoelhou e pediu de novo… 

Realmente fiquei surpresa, às vezes a gente espera que o pedido seja cheio de pompa como histórias que vemos em filmes, mas quando aconteceu num ritual tranqüilo numa noite comum caiu a ficha que era isso que importava, eu e ele, companheirismo, carinho, coisas que só nós dois entendemos e não poderia ser de outra forma… 

Então vieram as premissas pro casamento: 

Nossas famílias são católicas, mas não nos consideramos assim e não achamos que deveríamos nos aproximar de uma igreja só pelo nosso casamento e não por nossas crenças, então definimos que seria apenas um casamento civil.

Mas queríamos um casamento civil com algumas palavras mais intimas, quem já foi em casamento civil de 10 minutos sabe que objetividade as vezes não é a melhor coisa, e como o nosso seria só civil, seguimos algumas indicações de algumas noivas daqui e foi uma das melhores escolhas, todos elogiaram a juíza de paz Dr. Eunice.

Minha família é toda de fora, Minas e Goiás, a família do Ricardo também não é de Brasília, mas pra facilitar a organização e garantir que nossos amigos próximos iriam, decidimos que nos casaríamos aqui, mesmo sabendo que poderíamos gastar 1/3 se fizéssemos na minha cidade, Ituiutaba. 

No caso de um casamento civil no cartório, de qualquer forma teria que ter pelo menos um coquetel de comemoração, né? Achava um absurdo que minha família viesse no casamento civil e cada um fosse pra algum restaurante ou para o seu hotel depois. Também não fazia sentido que só a família participasse desse momento, mesmo porque todos já sabiam que Ricardo e eu estávamos dividindo o mesmo teto e nossas vidas, e nossos amigos próximos eram presença indispensável para compartilhar nossa felicidade nesse momento e oficializar o que já estávamos construindo – a nossa família- assim definimos que faríamos um mini wedding, de preferência pela manhã pra que todos pudessem passar o dia comemorando conosco, relembrando histórias e se conhecendo, porque cada vez mais estariam juntos conosco em nossas comemorações. 

Então definimos, poucos convidados, um casamento simples durante o dia com família e amigos mais próximos, quem disse que isso é fácil??? E Não é… Começamos a pesquisar fornecedores, como seria, os convidados e todo o check list de noivos e com isso todas as dúvidas, problemas e confusões que isso implica… 

Mandamos e-mails com solicitações de orçamento de espaço, ligações e a cada retorno nosso sonho ia ficando cada vez mais distante… Todos os orçamentos que recebíamos estavam fora da nossa realidade (40, 50 mil só pelo espaço e decoração) e nem queríamos muito, queríamos algo simples. Nós pagaríamos pelo nosso casamento e não tínhamos condições de assumir dívidas e não queríamos nos comprometer, pois nossas prioridades eram outras naquela altura… Fui ficando desanimada e sem família perto tudo ficaria mais difícil, pois não poderíamos contar com a ajuda deles… Acho que isso foi mais um teste no nosso caminho, Ricardo foi o melhor noivo do mundo, a cada orçamento irreal ele me abraçava e me dava força pra continuarmos olhando, pesquisando e procurando, que nós teríamos o casamento que eu sonhei… Olhei muitos sites e blogs do assunto até que cheguei num blog “casando sem grana”, vi que muitas noivas viviam a mesma situação que eu e muitas vezes até mais difícil…

Acredito que temos que passar por certas coisas e que Deus nos coloca em certas circunstâncias, mas se seguirmos em frente conseguiremos algo melhor, e assim, num desses blogs eu vi que tinha uma cerimonialista em Brasília que fazia casamentos com preços acessíveis, com tudo incluso, a partir de 10 mil reais… 10 mil reais??? Parecia loucura, aqui em Brasília ??? Só um salão seria mais caro que isso, mas resolvi mandar uma solicitação de orçamento. Assim no outro dia recebi um email com um orçamento para marcarmos uma reunião, definitivamente estava conhecendo minha “fada madrinha”. Daniela da LD2 eventos, uma moça simples, mas super direta, que falava que teríamos o nosso casamento com o orçamento que tínhamos, avaliando as prioridades, mas que era possível. Nos encontramos algumas outras vezes, mas não ficava sem retorno por email, mensagens, ligações de horas tirando dúvidas de taças, bem-casados, o que estaria incluso no pacote… Fechamos quase tudo com ela: decoração, musicas, cerimonial, buffet, doces, bolo, maquete, fotos… Parte do serviço ela fazia, parte era de outro fornecedor como bolo, maquete e doces, que era da Marina, uma doceira muito conhecida aqui de Brasília. 

Ganhamos um presente especial de conhecer o trabalho e ter a Luciana Ferry fotografando nosso casamento, uma profissional super competente que conseguiu arrancar os melhores sorrisos do noivo super nervoso… 

Contratamos filmagem com a Black Tie filmagens para que eu também acompanhasse o que se passava de fora enquanto eu estava trancada na suíte da noiva. Vale o investimento o dia passa muito rápido e muitas coisas você só vê com a filmagem… 

Ricardo e eu não somos muito de balada, mas adoramos um barzinho, conversas, então queríamos um casamento de manhã ao ar livre pra todos ficarem a vontade e garantir que aproveitaríamos a maior parte do dia com nossos amigos e familiares, e não passarmos o dia nos preparativos e pouco com eles. E com mais orçamentos enviados conheci o Farol do Cerrado, um lugar rústico, mas elegante, com uma vista de Brasília de tirar o fôlego e um precinho justo… Fechamos na primeira visita com a Dani, o lugar tinha um potencial incrível pra um casamento simples durante o dia… O sonho começava a tomar forma…

Casamento simples, poucos convidados, mas queríamos comida boa e farta, bebida cerveja, caipiroscas, isso não podíamos economizar… Impossível fazer um casamento de manhã sem servir um almoço, ou um brunch reforçado, mas como teríamos algumas pessoas mais velhas, preferimos servir almoço e coquetel volante dividido em 2 partes, uma no inicio da recepção e outra no final da tarde pra garantir todos bem no final do dia…

Queria a participação da minha família, homenageá-los deixar alguns detalhes que fizessem a diferença, então, porquê não doces em compota? Minha mãe e minha avó se empenharam o máximo pra que tudo saísse perfeito.. e valeu a pena!!! 

Família de fora, casamento perto de um feriado, novembro de 2013 parecia ótimo, só que não… Em Minas sempre ouvimos a história de que noiva que come na panela, chove no casamento e novembro em Brasília chove todos os dias, ia ser um dilúvio…decidimos por 1° de junho, perto de um feriado e quase nula a possibilidade de chover na data… 

Mais uma viagem a trabalho do Ricardo, 2 meses fora, a menos de 6 meses do casamento, e aproveitei para tirar umas férias e garantir algumas bebidas para o casamento, acho que quem tem oportunidade de comprar fora, compensa muito, que seja pedir pra um amigo próximo trazer algumas garrafas e fazer um estoque com antecedência pode fazer uma grande diferença no final… 

Sem o noivo que tanto me ajudava nas decisões, ficava difícil resolver muita coisa, então começamos a montar o site de casamento, mesmo com grande variedade de sites disponíveis poucas opções não tem custo, escolhemos montar nosso site no wix, que também seria o save the date. Eles oferecem alguns pacotes sem custo e é bem fácil de trabalhar nele. Optamos também por uma lista de presentes online, mas da mesma forma que o site, todos pediam uma participação no montante dos presentes, chegamos ao Zankyou por um casal de amigos que se casaram em 2011, o site não cobra taxa, apenas a partir da segunda transferência e a taxa do cartão de crédito, que pode ser paga pelo convidado ou pelos noivos. Quem quiser dar uma olhada: http://ricardoethais.wix.com/thaisericardo

Prazo já apertado com relação aos convites, resolvi aproveitar a ajuda de um padrinho que tem experiência em design pra ajudar com o layout dos convites, mas ao fazer orçamento em Brasília, achei que poderíamos economizar neste quesito, numa viagem pra Ituiutaba fiz orçamento na gráfica pontal, e o preço realmente era convidativo. Encomendei com uma madrinha pra me certificar que sairia como eu queria, e valeu a pena. 

Aproveitei os meses do noivo fora de casa e comecei a olhar vestidos e mais uma vez Brasília estava fora do orçamento, pensei, por que não internet?? Olhei, pesquisei, vi referencias e comprei, um vestido clássico, simples, comportado, aproveitei e comprei da daminha também, uma pechincha, o preço, quase um aluguel de vestido de festa. Um mês depois o vestido da dama chegou, lindo, perfeito e com as medidas certas. Achei que o meu também seria assim, só que o tiro saiu pela culatra… O vestido tinha uma renda muito bonita, mas o modelo era totalmente diferente do que eu tinha visto, minha mãe e minha tia que tem muita experiência com alta costura vieram pra Brasília me ajudar a conseguir alguém pra ajustar meu vestido, deixei numa costureira e na primeira prova a decepção, estava prestes a realizar um sonho, um casamento como eu queria, mas o vestido nunca sairia como eu sonhava, peguei o vestido, mesmo sem terminar, há 3 meses do casamento, chorei como uma criança… a essa altura o Ricardo já tinha chegado de viagem e descobriu que mulheres choram sim por causa de um vestido, e muito… Mais uma vez, acho que nesses momentos nos cercamos de pessoas especiais… Um amigo, que sempre me enchia sobre fazer meu vestido com um amigo dele me ajudou e assim eu conheci o Paulo Antunes, um costureiro conhecido daqui de Brasília, mas que tem o pé no chão quando se trata de quanto vale um sonho… O Paulinho foi incrível, quando experimentei o vestido comprado pela internet ele disse que poderíamos aproveitar parte do vestido, e que eu ficasse tranqüila, que ele faria o que eu desejasse, que era possível… Me joguei, faltando 2 meses para o casamento, começamos meu vestido do zero, e valeu cada centavo, cada conversa, cada conselho… Incrível como ele foi profissional, duas semanas antes, fui fazer a penúltima prova e ele com dengue, com a ajuda de duas costureiras me atendeu como se eu fosse a pessoa mais importante do mundo… 

O salão estava fechado, nesse dia tão especial não poderia de deixar de lado quem cuida de mim e do noivo, Eduardo Medeiros faria meu cabelo, maquiagem e melhor, ele trabalha também em parceria com o Paulinho, então o arranjo do cabelo estava mais que seguro… Foi muito especial e importante ter alguém em quem eu confiasse para ficar comigo nos momentos mais tensos, o Edu conseguiu isso e melhor fez com que minha mãe se acalmasse e confiasse no seu trabalho… 

Trabalhei até a véspera do casamento, contei com minha família perto de mim uma semana antes, como teve feriado na quinta-feira, a festa começou antes, e acho que isso vale muito a pena, são os últimos momentos de descontração antes do nervosismo, suadeira, boca seca… 

Na semana antes do casamento choveu, choveu muito, achei que nosso casamento teria que ser na área coberta do Farol, mas amanheceu nublado e São Pedro deu uma forcinha, muita reza também pra Santa Clara… Nessa hora, acho q profissionais competentes fazem a maior diferença, mas uma vez a Dani e o Claudio ( decorador da equipe LD2) fizeram com que eu ficasse tranquila quanto ao plano B. Quando cheguei quase pronta no casamento estava tudo como eu sonhei, até melhor, cada detalhe que eu nem imaginava… Perfeito… A chuva segurou até o casamento terminar. 

Algumas surpresas não comentamos com ninguém… 

Decidimos entrar com nossos pais, pela importância dos dois nas nossas vidas; 

Meus avós maternos comemoraram 60 anos de casados em dezembro de 2012, então, ninguém melhor que eles para nos abençoar com as alianças no nosso casamento, mesmo com todas as dificuldades, eles toparam e sem dúvida foi um dos momentos mais emocionantes do dia; 

Entrei segurando um lenço azul da minha avó que faleceu há alguns anos, mas que sempre esteve presente na minha vida; 

Brindamos com cerveja Deus, era mais a nossa cara, do que espumante!

Dificuldades, contratempos, falta de grana, chuva, família longe, padrinho doente no dia, sempre vai acontecer algum desses contratempos, mas cada segundo de preparação, cada plano, cada pessoa especial que você tem perto nesse dia é inesquecível… Aproveitem, façam o social, mas aproveitem, porque por mais que tudo saia como o planejado SEMPRE alguém vai falar que não recebeu atenção suficiente nesse dia… Esse dia especial é dos noivos e de mais ninguém, qualquer palpite deve ser seguido se tiver a cara de vocês, pessoas que realmente se importam ficarão felizes só de poder estar ali… E cada segundo, cada centavo investido vale, sem se colocar em dificuldade, mas vale… 

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35

Check List:

•Vestido de Noiva: Paulo Antunes

• Cabelo e Maquiagem: Eduardo Medeiros

• Terno do Noivo: Alugado

• Local da Festa: Farol do Cerrado

• Decoração e Buquê: Claudio Nardoni – LD2 Eventos

• Buffet: LD2 Eventos

• Som/DJ: LD2 Eventos

• Doces, Bolo e Maquete: Marina Bolo e doces

• Musical cerimônia:LD2 Eventos

• Cerimonial:LD2 Eventos

• Fotos: Luciana Ferry

• Filmagem: Black Tie

• Convites:Grafica do Pontal

• Buquê: LD2 Eventos

Deixe seu comentário!!! Será um prazer receber seu feedback de nossos posts! O BLOG NÃO SE RESPONSABILIZA POR COMENTÁRIOS DEIXADOS NOS POSTS E O CONTEÚDO DESTES É TOTAL RESPONSABILIDADE DO AUTOR DOS MESMOS!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: